quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Paul Stanley fala sobre a turnê de despedida





O vocalista do KISS, Paul Stanley, falou com a KLAS-TV sobre o recente anúncio da banda de que embarcará em sua turnê de despedida, batizada de “One Last Kiss: End Of The Road World Tour”, em 2019.

Paul destaca: “Tocamos há 50 anos, e nos damos muito bem, a banda nunca foi tão feliz, mas talvez seja a hora, quando ainda é bom, começar uma despedida”, deixando claro que não é um fim por brigas ou desavenças entre os integrantes. “Este é o show final: estamos fazendo o maior show do KISS de todos os tempos! Então as pessoas que sabem o que esperar virão e conseguirão o que esperam, mas as pessoas que nunca nos viram serão surpreendidas”.





Ao ser perguntado se a banda preparava alguma surpresa, alguma música nova ou até algum cover, Stanley respondeu: “Honestamente, as pessoas querem ouvir os clássicos, mais bombas, mais fogos, mais efeitos. Este é realmente o último show do KISS“.

As notícias sobre a última turnê do KISS ganharam força vários meses atrás após a notícia de que a banda estava tentando registrar a frase “The End Of The Road”. Um pedido do KISS foi apresentado em fevereiro ao Escritório de Marcas e Patentes dos Estados Unidos

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

OLI HERBERT, GUITARRISTA DO ALL THAT REMAINS, MORRE AOS 44 ANOS



O músico fundou a banda em 1998 ao lado do frontman Phil Labonte

O guitarrista e fundador do All That Remains Oli Herbert faleceu aos 44 anos. A notícia foi confirmada pela banda em suas redes sociais.

Herbert fundou o grupo em 1998 e é o único membro original ao lado do frontman Phil Labonte. Até o momento, a causa da morte não foi revelada. Em uma declaração, a banda escreveu: “Estamos devastados com a morte de Oli Herbert, nosso amigo, guitarrista, e membro fundador.”


Oli era um guitarrista incrível e um compositor que definiu o rock e o metal no nordeste [dos Estados Unidos]. Seu impacto no gênero seguirá para sempre.”

All That Remains se preparava para lançar um novo disco de estúdio, Victim of the New Disease, no dia 9 de novembro.

Descanse em paz, Oli Herbert.

https://www.instagram.com/allthatremains/?utm_source=ig_embed

terça-feira, 16 de outubro de 2018

O Disturbed lançou a faixa “The Best Ones Lie




O Disturbed lançou a faixa “The Best Ones Lie“, novo single de seu próximo álbum de estúdio, “Evolution“, que será lançado em 19 de outubro pela Reprise.

Marcando a continuação de “Immortalized” de 2015, o álbum foi gravado no The Hideout Recording Studio em Las Vegas, NV, com o produtor Kevin Churko.

Lista de faixas “Evolution”:

01. Are You Ready
02. No More
03. A Reason To Fight
04. In Another Time
05. Stronger On Your Own
06. Hold On To Memories
07. Savior of Nothing
08. Watch You Burn
09. Best Ones Lie
10. Already Gone

Bônus da Deluxe Edition:

11. The Sound Of Silence [live] (featuring Myles Kennedy)
12. This Venom
13. Are You Ready (Sam de Jong Remix)
14. Uninvited Guest

Créditos da foto: Travis Shinn


Korzus: Marcello Pompeu se pronuncia sobre polêmica no show de Recife




Durante o show do Korzus realizado em Recife no dia 13 de outubro, o vocalista Marcello Pompeu parou para fazer um discurso em relação à política (vejam os detalhes aqui). Em sua fala, ele citou os ataques que estão sendo feitos ao Nordeste desde o fim do primeiro turno da eleição, onde declarou que “estão jogando o nordeste no lixo”, e falou ao público para que eles se unissem e não perdessem as amizades por conta de políticos, pois nenhum deles prestavam.

Muitos dos presentes não gostaram da postura de “isento” dele em meio à situação política em que vivemos, e também outros alegaram que ele teria desrespeitado o Nordeste.

Após a má repercussão do caso, e também de ter recebido diversas críticas dos fãs nas redes sociais, Pompeu publicou um vídeo na página oficial da banda esclarecendo toda a situação, onde ele disse que não é obrigado a apoiar nenhum dos candidatos, pois nenhum deles o agradava, e esclareceu que na verdade ele havia citado que as pessoas estavam jogando o nordeste no lixo se referindo às críticas que estão sendo feitas à região após as eleições. Marcello também disse que por Antônio Araújo, guitarrista da banda, ser de Recife, não haveria sentido em ele desrespeitar os nordestinos.

Confiram o vídeo:
https://www.facebook.com/korzusofficial/videos/110286189877355/

Tim ‘Ripper’ Owens: vocalista pretende regravar discos que fez com o Judas Priest



Após um fã apontar para Tim Owens, ex-vocalista do Judas Priest, que seus dois discos com a lendária banda inglesa, sendo eles o “Jugulator” de 1997 e o “Demolition” de 2001, não estão sendo mais produzidos em vinil, o mesmo afirmou que sua história e obra com o grupo foi deletada do passado dos mesmos.

Com isso, o músico prometeu regravar os dois trabalhos ele mesmo e relança-los.




Após um fã apontar para Tim Owens, ex-vocalista do Judas Priest, que seus dois discos com a lendária banda inglesa, sendo eles o “Jugulator” de 1997 e o “Demolition” de 2001, não estão sendo mais produzidos em vinil, o mesmo afirmou que sua história e obra com o grupo foi deletada do passado dos mesmos.

Com isso, o músico prometeu regravar os dois trabalhos ele mesmo e relança-los.

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Soilwork: banda libera música de novo álbum





O Soilwork liberou nesta sexta feira (12/10), o vídeo da música "Arrival",que fará parte do décimo primeiro álbum de estúdio da banda,intitulado "VerkliGheten"


Vale lembrar que o disco será o primeiro a contar com Bastian Thusgaard na bateria.

Ouça a música no link abaixo:

IMAGO MORTIS: HÁ MAIS DE 20 ANOS CARREGANDO A BANDEIRA DO DOOM METAL



Doom metal, filosofia e ciência

Formada em 1995 pelos irmãos Fabio Barretto e Fabrício Lopes, hoje na banda Mensageiros do Vento, o Imago Mortis se tornou com o passar dos anos um destaque no doom metal brasileiro.

Foi em 1998, com a entrada do vocalista Alex Voorhees para a turnê do álbum Images From The Shady Gallery, que o Imago Mortis começou a tomar forma e se preparar para o lançamento do que foi considerado um dos mais importantes álbuns do metal nacional, Vida – The Play Of Change, em 2002.

Vida, provavelmente o disco mais famoso da banda, conta a história de uma pessoa que sofre de uma doença terminal chamada vida. O álbum foi composto após uma pesquisa com doentes terminais e acompanha um jogo de oráculos baseado no livro I Ching.

“Durante o álbum, há cinco estágios que os doentes terminais passam”, disse o vocalista Alex Voorhees. “Negação, raiva, barganha, depressão e aceitação, que nem todos passam. Nós fizemos uma história de uma pessoa indo de encontro com a morte, passando por essas fases”.

“Numa época em que o Brasil estava na fase do metal melódico, veio o Imago Mortis com um som completamente diferente, foi um disco muito à frente do seu tempo”.

Pouco tempo depois do lançamento de Vida, os membros fundadores, Fabio e Fabrício, deixaram o Imago Mortis, e Voorhees tomou a frente da banda para o lançamento de Transcendental, que traz temas sobre espiritismo e budismo, seguido por uma extensa turnê pelo país. Porém, em 2009 foi declarado o fim do Imago Mortis, com os integrantes mudando de cidade e país. A volta da banda se deu aos pedidos do público e em 2011, o Imago Mortis se reuniu para alguns shows tocando Vida na íntegra.

Com músicas já semiprontas há anos, foi somente este ano, 2018, que a banda lançou o álbumLSD, mais uma vez mergulhando em temas profundos, a partir de estudos da antropóloga Helen Fisher, filosofia, cultura e poesia. “O álbum fala sobre o mito do amor romântico. O amor nada mais é que substâncias químicas que agem no cérebro. A paixão é um jogo. O ser humano é um fantoche nas mãos da natureza. Aquilo intoxica a pessoa. Ela fica viciada no outro, parece uma doença. É um vício que te entorpece, e as três bases disso são o amor, sexo e morte. LSD – Love, Sex and Death“.

O Imago Mortis tem shows marcados para divulgar o disco LSD no Rio de Janeiro, no dia 21 de outubro e em Belo Horizonte, em 08 de dezembro.

Rio de Janeiro/RJ
Data: 21 de outubro
Local: Teatro Odisseia
Ingresso: R$30,00 na porta

Belo Horizonte/MG
Data: 08 de dezembro
Local: Mister Rock
Ingresso: R$35,00
Compre clicando aqui

Facebook | Instagram

CJ Ramone



A CP Management anuncia a vinda de Cj Ramone para o segundo semestre de 2018. Ex-baixista dos Ramones vai tocar clássicos dos Ramones e o melhor de sua carreira solo.

Verdadeiro apaixonado principalmente pelos ensandecidos fãs brasileiros, CJ Ramone, ex-baixista da histórica banda norte-americana de punk rock Ramones e um dos artistas mais carismáticos da música mundial, acaba de confirmar turnê especial pela América Latina.

A nova série de apresentações já tem passagem decretada por Costa Rica, Chile, Argentina, Paraguai e Brasil. O repertório especialíssimo traz os principais clássicos dos Ramones, além das excelentes composições dos álbuns solo “American Beauty”, “Reconquista” e “Last Chance to Dance”.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

S Joe Perry: guitarrista anuncia nova turnê solo





joe Perry, guitarrista da lendária banda Aerosmith, anunciou recentemente sua nova turnê solo para divulgar seu sexto álbum, intitulado “Sweetzerland Manifesto”. Tendo por enquanto apenas datas no Estados Unidos, a turnê se iniciará no dia 30 de novembro em Iowa, e se encerrará no dia 16 de dezembro na Califórnia.

Também tocarão na turnê ao lado de Perry seu companheiro de banda no Aerosmith Brad Whitford, e Gary Cherone, frontman do grupo Extreme.

Além de tocar músicas do próprio catalogo, Perry também tocará músicas raras do Aerosmith, e também grandes clássicos do grupo


quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Megadeth: estaria Kiko Loureiro tocando “Tornado of Souls” de maneira errada?





Você acha que eu tocaria de maneira errada uma música do MEGADETH, na frente de Dave Mustaine por mais de três anos ou trezentos shows?”

É desta forma, bastante irônica, que Kiko Loureiro abre o mais recente vídeo, lançado em seu canal oficial no YouTube.

No vídeo, que você confere abaixo, ele explica para alguns fãs que teriam comentado em seu canal sobre o seu suposto erro nas forma de tocar a clássica “Tornado of Souls” e informa que é um conceito no MEGADETH de que os guitarristas não toquem seus instrumentos com palhetadas apenas para baixo.

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Candlemass: vídeos mostram gravações do novo álbum




Alguns vídeos foram liberados de forma oficial pela banda sueca de Doom Metal Candlemass, referente as gravações do seu novo álbum de estúdio, que deve ser lançado na primavera de 2019. A nova produção irá contar com o retorno do vocalista Johan Längqvist, substituindo Mats Leven, que esteve a frente da banda nos últimos 6 anos.

Em declaração oficial, o baixista Leif Edling falou:

“Eu apenas quero dizer que parte das gravações desse álbum foram concluídas. Passamos um anos mais ou menos no estúdio, muito trabalho feito, mas o resultado foi satisfatório. (…) Johan está de volta após 32 anos, o que também é algo maravilhoso“.

Leif também acrescentou: “O álbum será mixado em outubro para que seja lançado na primavera de 2019 pela Napalm Records. Eu realmente acho que essa é a melhor coisa que fizemos em muito tempo“.

Confiram os vídeos:

O último álbum lançado pelo Candlemass foi o “Psalms for the Dead”, de 2012, o último gravado pelo vocalista Robert Lower, que deixou a banda pouco dias após o lançamento.

Slayer: Reign in Blood completa hoje 32 anos




Em 07 de Outubro de 1986, o SLAYER lançava um disco que mudaria a vida de todos: da banda, do Thrash Metal, da sua vida, caro leitor, da vida deste redator que vos escreve, enfim… O disco mais violento, rápido, agressivo da história do Heavy Metal: “Reign In Blood“.

Muitos colocam “Reign In Blood” e “Master of Puppets“, do METALLICA no mesmo patamar, e de fato estão: com 7 meses de diferença entre um e outro (O METALLICA lançou antes a sua obra-prima), ambos são reconhecidos não só pelos fãs, mas também pela crítica como os melhores álbuns das respectivas bandas e referências das próprias.

Se “Master Of Puppets” é mais técnico, sem abrir mão da velocidade do Thrash Metal, em “Reign In Blood“, Tom Araya, Kerry King, Jeff Hanneman e Dave Lombardo são mais diretões, priorizando os riffs rápidos e solos ainda mais rápidos. Bem, chega de comparações, pois hoje o homenageado é o álbum do SLAYER.

Gravado entre junho e julho de 1986, no Hit City West estúdio, em Los Angeles e lançado pelo selo Def Jam, de propriedade do produtor Rick Rubin, que se aventurava pela primeira vez no Metal, uma vez que seu selo era mais voltado para o Rap. Mas o disco foi concebido de forma tão avassaladora que a parceria tornou-se duradoura.

O disco abre com “Angel of Death“, que fala sobre Josef Mengele, o chamado “Anjo da Morte”, responsável por todo aquele triste e deprimente horror cometido contra a espécie humana: o Holocausto. A música não foi bem compreendida por alguns na época, que acusaram a banda de nazismo. A música é arrasadora, como as demais que dão sequência ao petardo. Difícil ficar parado ao escutar os primeiros acordes desta música.

Cabe aqui uma curiosidade: o SLAYER NÃO foi a primeira banda a abordar o “Anjo da Morte” em suas letras. No mesmo ano, a banda carioca DORSAL ATLÂNTICA já havia abordado em seu debut, “Antes do Fim”, o mesmo tema, na música “Josef Mengele”.

Voltando ao nosso homenageado, “Piece By Piece” mantém a pancadaria sonora dos caras, mesmo que o começo dela seja mais “devagar”. Ledo engano, caro leitor, em menos de 25 segundos, o “pau canta na casa de Noca”.

“Necrophobic” mantém o nível alto, com os caras apostando em riffs rápidos e Tom Araya cantando mais rápido do que narrador de turfe.

“Altar of Sacrifice” aposta no dueto de guitarras e a bateria rápida. Ela serve como ponte para “Jesus Saves“, que começa com os melhores riffs já escritos pela dupla King e Hanneman, bem carregados. Se a música vai seguir nesse andamento? Ledo engano, logo logo, os caras descem a mão em seus respectivos instrumentos. É uma tarefa quase que impossível escolher a melhor música deste disco, visto que muitas são populares e tocadas até os dias atuais nos shows da banda (e de forma OBRIGATÓRIA), mas em minha opinião, “Jesus Saves” é a melhor do disco. O fato curioso é que ao vivo, ambas as músicas são tocadas na sequência.

“Criminally Insane” começa com a bateria quebrada de Dave Lombardo… Mas eles pensam que enganam a quem? Logo logo a velocidade e o peso tomam conta da música, embora essa seja um pouco diferente, tendo uma mudança de andamento no meio dela, mais arrastada, mas depois voltando à velocidade.

“Reborn” segue o ritmo das músicas anteriores: velocidade, peso, mais velocidade. Em “Epidemic”, uma virada de bateria na introdução é a ponte para que a dupla de guitarristas entre com seus riffs alucinantes. Aqui a velocidade é um pouco quebrada, mas nada que deixe a música ruim, pelo contrário.

“Postmortem” é mais calcada nos riffs e no andamento “menos rápido”. Aqui, Araya arrisca um agudo, tal qual como na faixa de abertura. Apesar de um andamento mais arrastado, no meio da música, eles não resistem e voltam à receita que deu certo nas demais músicas: a velocidade.

E os bumbos de Dave Lombardo anunciam que o disco está chegando ao final. E que final épico. Assim podemos definir a faixa “Rainning Blood“. Aquela música que todo headbanger que se preze poga sozinho em casa, ao escutar com o volume no talo. Aquela que todos sonham em entrar no mosh (inclusive este que vos escreve). Rapidez, brutalidade, duetos de guitarra ditando as coisas por aqui, além do vocal espetacular de Tom Araya, talvez a sua melhor performance na carreira. O disco termina com o solo veloz, com a mesma velocidade que ele se iniciou.

E assim termina um álbum que nasceu clássico, o melhor da história do Thrash Metal. Ele é direto, pode ser considerado tosco se comparado com outras obras em que os músicos são mais virtuosos, mas aqui falamos em feeling, e nisso, os caras do SLAYER são mestres. Longa vida a este disco! E que a banda possa tocar por aqui em sua turnê de despedida, incluindo todas as músicas possíveis desta obra.

Formação:

Tom Araya – Vocais/Baixo

Kerry King – Guitarra

Jeff Hanneman – Guitarra

Dave Lombardo – Bateria

Track List:

01 – Angel Of Death

02 – Piece By Piece

03 – Necrophobic

04 – Altar of Sacrifice

05 – Jesus Saves

06 – Criminally Insane

07 – Reborn

08 – Postmortem

09 – Rainning Blood

Sacredeath Stan Your Side (Official video)





A banda Sacredeath disponibilizou o clip  "Stand Your Side " em seu c canal official do youtube.Essa faixa está no Ep InHumanDeath previsto para ser lançado no primeiro semestre de 2019"

vida longa ao rock e metal" compartilhem e ajudem a divulgar nossa música..obrigado. e sucesso sempre a todos.
Novo Single 2018 - Stand Your Side

Sacredeath is(@Sacredeathofficial)

Alex Martins (Guitar and Singer)
Bruno Basílio (Guitar)
Cristiano Hanz (Drum
filipe (Bass)


https://sacredeath.bandcamp.com/

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Primal Fear Crucify Me





A faixa “Crucify Me” foi lançada com o intuito de celebrar o retorno do Primal Fear à gravadora Nuclear Blast Records. A faixa chega ao mercado em formato de single, não somente digital, como também em vinil de 7 polegadas, limitado a mil cópias.

Confira abaixo:

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Nazareth: confiram o clipe da música “Tattooed On My Brain



Nessa domingo (30/09), a banda escocesa Nazareth lançou de forma oficial no youtube, o novo clipe referente a música “Tattooed On My Brain”, faixa-título do novo trabalho que será lançado no próximo dia 12 de outubro.


Comemorando os 50 anos de atividades da banda, o intitulado “Tattooed On My Brain” será o 24º álbum em estúdio do grupo, sendo esse o primeiro a contar com o novo vocalista Carl Sentance. A Frontiers Music Sr é o selo responsável pelo novo lançamento.

Além do single, outra faixa do novo álbum que já foi liberada para audição foi a “State Of Emergency”.

Confiram:


Machine Head: comunicado oficial esclarece que a banda não acabou



O Machine Head emitiu uma declaração sobre as decisões do guitarrista Phil Demmel e do baterista Dave McClain de sair da banda após uma turnê final. O vocalista/guitarrista da banda, Robb Flynn, anunciou anteriormente a notícia por meio de um vídeo ao vivo no Facebook, no qual ele culpou aspectos de sua própria personalidade pela decisão da dupla de partir.

No comunicado recém-divulgado, fica claro que a banda continuará e que a iminente turnê norte-americana será apenas uma despedida para a atual formação da banda.

“Depois de 23 anos com Dave McClain batendo as peles no trono da bateria, e 15 anos com Phil Demmel triturando a guitarra no palco, ambos os membros decidiram deixar o Machine Head e abrir um novo capítulo em suas vidas.

A próxima turnê Freaks & Zeroes da América do Norte (que começa nesta quinta-feira em Sacramento, CA) ainda está acontecendo, e será uma celebração da música que o line-up criou ao longo dos anos. A separação é amigável, e os caras estão ansiosos para tocar esses shows muito especiais para os Head Cases da América do Norte e terminar essa era com uma nota positiva e elegante.

Vá para nossa página do YouTube para assistir ao anúncio emocional de Robb.

Para esclarecer: esta é a turnê de despedida deste line-up do Machine Head, não a turnê de despedida do Machine Head, como foi relatado na mídia.

Machine Head gostaria de agradecer a Phil e Dave por suas contribuições significativas para a banda, tanto musicalmente quanto liricamente, bem como pelo espírito, paixão genuína que infundiram na música e performances ao vivo lendárias ao longo do caminho.

Machine Head pede que vocês, os Head Cases, os Freaks & Zeroes, os Lion Hearts of America, venham e tomem uma bebida (ou 5), fumem a baseado (ou 3), nos shows, levante sua bandeira e celebre este momento único no tempo com a gente.

Obrigado amigos,

– Machine Head.“

Behemoth: assista ao vídeo da faixa “Bartzabel”




O Behemoth liberou o videoclipe de “Bartzabel”, faixa inédita que faz parte do vindouro álbum “I Loved You At Your Darkest“, que será lançado no próximo dia 5 de Outubro, via Nuclear Blast.

O líder da banda, Nergal, comenta: “‘Bartzabel‘ é uma música que veio no meio de um ensaio do Behemoth… Não tínhamos estrutura, nem visão — mas peça por peça, veio a ser o que é, e estávamos extremamente entusiasmados com o resultado. Para nós, é o olho da tempestade de ‘I Loved You At Your Darkest‘: sonicamente mais calma e mais lenta do que qualquer outra coisa no disco, mas definitivamente uma das mais sombrias.“

“Liricamente, nós (eu e Krzysztof Azarewicz) fomos inspirados pela conjuração de Aleister Crowley do Spirit of Mars — que o vídeo, feito pelos nossos amigos de confiança na Grupa 13, retrata lindamente… Eu posso até ir longe demais para dizer que é meu vídeo favorito do Behemoth de todos os tempos! Espero que todos gostem, e estamos ansiosos para o lançamento de ‘I Loved You At Your Darkest‘ nesta sexta-feira!“

Lista de faixas de “I Loved You At Your Darkest“:



01. Solve
02. Wolves Ov Siberia
03. God = Dog
04. Ecclesia Diabolica Catholica
05. Bartzabel
06. If Crucifixion Was Not Enough…
07. Angelvs XIII
08. Sabbath Mater
09. Havohej Pantocrator
10. Rom 5:8
11. We Are The Next 1000 Years
12. Coagvla

domingo, 30 de setembro de 2018

Sacredeath libera Teaser do novo clip Stand Your Side




A banda  Curitibana Sacredeath disponibilizou o Teaser  do seu novo vídeo clip "Stand  Your Side"essa faixa faz parte do novo ep da banda  INHUMANDEATH que tem a previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2019 ,o clip será lançado mundialmente no dia 03/ de outubro no canal official da banda no youtube fiquem ligados  ......


https://sacredeath.bandcamp.com/

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Rock In Rio: Iron Maiden, Scorpions, Megadeth e Sepultura oficialmente confirmados no dia do Metal




Rock In Rio: Iron Maiden, Agora é oficial! O dia do Metal do Rock In Rio 2019 será no dia 04 de Outubro – uma sexta-feira – e o site do Festival confirmou oficialmente Iron Maiden e Scorpions como co-headliners, juntamente com Megadeth e Sepultura como convidados especiais do Palco Mundo.

O tradicional festival careceu de uma noite dedicada ao gênero em sua edição passada, em 2017, onde o Hard Rock foi quem dominou com The Who, Aerosmith e Guns n’ Roses.

Em 2019, o Rock in Rio acontece nos dias 27, 28 e 29 de setembro e 3, 4, 5 e 6 de outubro, pela segunda vez no Parque Olímpico.

A venda do Rock in Rio Card, que dá direito a troca por um ingresso, acontece no dia 12 de novembro, às 19h. A compra pode ser feita pelo site Ingresso.com.
h e Sepultura oficialmente confirmados no dia do Metal

Metallica: confira versão de “The Shortest Straw” gravada na garagem de Lars Ulrich em 1987



O Metallica postou uma versão de “The Shortest Straw” gravada na garagem de Lars Ulrich em Dezembro de 1987. Com o título de “The Shortest Straw (December 1987, Writing in Progress)“, a faixa fará parte da versão de luxo do álbum “…and Justice For All“, a ser lançada no próximo dia 2 de Novembro, via Blackened Records.

É interessante ver como a faixa tem uma pegada levemente diferente, onde pode-se ouvir mais o som do baixo, além do tom das guitarras soar diferente da versão final do álbum.

Confira a faixa no player abaixo:

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

UM TRIBUTO A JEFF HANNEMAN, ESCRITO POR DAVE LOMBARDO




Jeff Hanneman faleceu em 2013

Dave Lombardo, ex-baterista do Slayer, escreveu à Metal Hammer sobre seu ex-companheiro de banda, Jeff Hanneman. Você pode ler algumas partes do texto abaixo.

“A primeira vez que encontrei com Jeff foi em 1981, logo depois que Kerry King e eu montamos a banda. Acho que Kerry o conheceu em algum lugar, conversaram, e ele levou Jeff para casa. Ele apenas parecia um garoto surfista e quieto: longos cabelos loiros, vivendo em Long Beach, podia estar em uma prancha de surfe. Eu eu pensei ‘Esse garoto é legal’.”

“Jeff foi uma grande influência no som do Slayer. Nós estávamos no metal típico da época – Judas Priest, Iron Maiden, Rainbow, Deep Purple, sabe? Então um dia Jeff apareceu para ensaiar com a cabeça raspada. Nós ficamos todos ‘Oh, Jeff, o que você faz ?!’ Ele disse: ‘Eu sou punk’. E ele trouxe toda essa música com ele: um pouco de vinil, alguns cassetes – Black Flag, TSOL, Minor Threat, Dead Kennedys, Circle Jerks. Eu fiquei ‘Uau, que rock eu tenho ouvido? Isso é fantástico!’. Nossas músicas se tornaram mais rápidas, mais agressivas depois disso. Foi ele quem trouxe esse elemento para o Slayer.”

“Quando você conhece alguém, especialmente nessa idade, todo mundo fica quieto. Mas quando você começava a conhecer Jeff, ele se abria. Ele definitivamente tinha aquela coisa punk, ‘Foda-se o mundo’, especialmente depois de algumas cervejas.”

“O que muita gente não sabe é que Jeff foi o menos educado musicalmente. Ele era um novato quando se juntou ao Slayer. Eu já tinha tocado em duas ou três bandas antes, então ele não sabia muito, mas ele se desenvolveu e aprendeu sozinho.”

“Eu nunca vi nenhuma competição negativa entre Jeff e Kerry. Ambos queriam o melhor para banda. Tenho certeza que Jeff foi inspirado por Kerry e Kerry por Jeff, especialmente na habilidade de improvisar. Mas ambos foram muito inspirados por KK Downing e Glenn Tiptondo Judas Priest“.

“Como todo mundo, você cresce e segue seu próprio caminho. Quando me juntei ao Slayer no início dos anos 2000, estávamos todos um pouco mais maduros, mas Jeff ainda era aquela pessoa feliz e brincalhona que sempre foi. Eu consegui me reconectar com ele. Passávamos muito tempo no ônibus de turnê e conversávamos muito, não em profundidade, apenas em coisas aleatórias.”

“No final do tempo dele no Slayer, ele chegou a um ponto em que sua performance não estava de acordo com o resto da banda. O álcool estava cobrando o preço, e as cirurgias que ele passou também. Foi triste, mas tivemos que tomar a decisão e dar a notícia a ele.”

“Antes de tudo o que aconteceu, não sabíamos quanto tempo Tom Araya queria continuar, porque ele estava pensando em se aposentar já naquela época. Então Kerry e eu estávamos conversando sobre montar uma banda e pensamos ‘Precisamos recrutar o Gary Holt‘, porque nos já o conhecíamos do Exodus. Como se viu, Gary entrou para o Slayer no lugar de Jeff, e isso foi aprovado por ele. Ele era um grande fã do Gary.”

“Se Jeff ainda estivesse aqui e no Slayer, ele não iria querer se aposentar. Ele lutaria para manter a banda funcionando. […] Seu amor e sua paixão era estar no palco.”

“Se há uma única música do Slauer que realmente define o Jedd, é ‘Necrophobic’, do Reign In Blood. Essa foi uma das músicas mais rápidas que fizemos: um som agressivo, brutal e quase monótono. Lembro dele dizendo ‘Isso é rápido, brutal, vamos levar ao limite, ao ponto de não conseguirmos tocar mais rápido’. E foi o que fizemos.”

“Eu penso muito sobre o Jeff. Não apenas quando as pessoas me perguntam sobre ele em entrevistas, mas quando estou sozinho também. Quando você está crescendo, você tem essa atitude de ‘live fast, die young’, mas secretamente pensa que é imortal. Então você para e pensa ‘Ele se foi’ e deixa um espaço vazio no seu coração.”

“Nos últimos anos, provavelmente nos últimos seis meses em que ele esteve em turnê com a banda, ele se sentou no ônibus e refletiu sobre os shows. Ele dizia ‘Cara, Angel Of Death ficou ótima essa noite’. Depois de algumas bebidas ele dizia ‘Eu escrevi isso, Dave!’. Ele estava orgulhoso dos clássicos que criou. Ele estava muito orgulhoso do que ele fez”.

terça-feira, 25 de setembro de 2018

DRAGONLORD LANÇA NOVO ÁLBUM; OUÇA DOMINION



Eric Peterson, guitarrista do Testament, é o líder do Dragonlord

Dragonlord, banda liderada pelo guitarrista do Testament, Eric Peterson, lançou hoje o terceiro álbum, Dominion, pela Spinefarm Records.

A banda ainda traz Lyle Livingston do Psypheria nos teclados e Alex Bent do Trivium na bateria. A arte da capa foi feita por Eliran Kantor, que já trabalhou com o Iced Earth e Sodom.

Testament: novo álbum incluirá “uma balada completa”, diz Chuck Billy




O vocalista do Testament, Chuck Billy, falou com o site Inquisitr sobre o progresso das sessões de composição para o sucessor do álbum “Brotherhood Of The Snake” de 2016. Ele disse: “Acho que estamos nos sentindo bem com o novo álbum e com o que fizemos nele — temos uma continuação do que escrevemos. Ainda temos algumas músicas nossas que provavelmente poderiam estar no álbum ‘Brotherhood Of The Snake‘. Então eu acho que nós vamos seguir esse caminho primeiro e ver aonde vai.“

Ele continuou: “Eric [Peterson, guitarrista do Testament] me disse: ‘Eu tenho uma balada neste álbum, então esteja pronto!’ Eu estava tipo ‘Tudo bem…’, porque nós não fizemos uma balada em 20 e poucos anos, provavelmente, uma balada cheia, “Born In A Rut”, de ‘Brotherhood Of The Snake‘, é suave e tem melodia, mas não é uma verdadeira balada.“

“Estou animado“, acrescentou Billy. “Nós só terminamos nossa turnê há algumas semanas, mas eu vou começar a ir lá na próxima semana. Eles vão começar a me mostrar riffs e eu vou começar a colocar minha cabeça neles. Então é o começo.“

Chuck também falou sobre a evolução musical do Testament, dizendo: “Eu acho que nós somos afortunados — o Testament como uma banda – temos a sorte de ter Eric Peterson. Ele escreve a maioria das músicas. Ele realmente não segue muitas outras coisas. Ele tem seu projeto de Black Metal que ele gosta, e ele gosta de seu Dragonlord [projeto paralelo de Eric Peterson] e adora tocar essas coisas. Mas ele realmente não ouve algo atual — o que está tocando por aí — o que acho que o mantém em seu próprio ritmo criativo. Seu próprio ‘modo Eric Peterson‘ de escrever. Mas, você sabe, Eric também está tentando espremer as coisas lá. Mais ou menos como o álbum ‘The Gathering‘. Elementos de Black Metal com blast beats e diferentes elementos que ele gosta — ele tentou trabalhá-los no Testament. Eu acho que isso realmente nos expandiu, e eu diria que, desde ‘The Gathering‘, nós realmente encontramos nossa identidade como uma banda de Heavy Metal. É como uma culminação de tudo o que fizemos até esse ponto. Thrash, Death, vocais melódicos, vocais de Death. E então, quando chegamos ao ‘The Gathering‘, tudo isso foi colocado lá. E as composições começaram a melhorar.“

Ele acrescentou: “Eu não sei. Como com qualquer coisa que você faz na vida, quanto mais você faz, você só vai ficar melhor. Então, eu não sei. Estou feliz que eu tenha Eric como um parceiro de escrita.“

“Brotherhood Of The Snake” foi gravado sob o olhar atento do produtor Juan Urteaga (Exodus, Heathen, Machine Head), Peterson e Billy e foi mixado e masterizado por Andy Sneap.

A turnê do Testament nos EUA como o banda de apoio para o Slayer terminou em 26 de agosto em San Jose, Califórnia.

Monstrosity – The Passage of Existence (2018)



A espera acabou: após 11 longos anos, o MONSTROSITY volta a lançar um álbum de estúdio, o sexto de sua carreira. E aqui temos um disco que fez valer a pena esperar tanto tempo.

Em “The Passage of Existence“, a banda que já teve em sua formação George Corpsegrinder e Pat O’ Brien (CANNIBAL CORPSE) nos brinda com um disco em que o foco é no Death Metal, porém, aqui temos a harmonia entre o peso, técnica e melodia nos solos de guitarra. E em cada música iremos destacar estes elementos que se mostram tão presentes.

Lançado em 7 de setembro via Metal Blade Records (aqui no Brasil foi lançado em versão digipack pela Marquee Records), com produção de Jason Suecof e gravado em três diferentes estúdios: a bateria foi gravada no “Audiohammer Studios” (Stanford, Flórida); As guitarras e baixo foram gravados no “Ascension Sound” (Tampa, Flórida), enquanto que os vocais foram gravados no “Redneck Studios“, de propriedade do OBITUARY (Gibston, Flórida).

O disco abre com a apoteótica “Cosmic Pandemia“, onde a banda mostra toda a sua técnica, com riffs intrincados e um solo melódico, com um andamento mais rápido em seu final. Excelente canção.

“Kingdom Of Fire” traz a medida de que o MONSTROSITY pode ser versátil. A música começa com a brutalidade típica do Death Metal, com várias mudanças em seu andamento, onde o solo com bastante melodia dá as caras.

Em “Radiated“, a pancadaria pura e simples dá as caras, onde as guitarras ditam as regras. É música pra fazer qualquer moshpitse tornar uma área de risco.

A pancadaria sonora se mantém firme em “Solar Vaccum“. Aqui destacamos a velocidade do baterista Lee Harrison.

Em “The Proselygeist“, os caras tiraram um pouco o pé do acelerador, mas a mão segue pesada. Aqui, guitarras e bateria fazem seu trabalho de forma excelente. Melhor música do disco.

“Maelstrom” é a música mais criativa do álbum, pois mistura em sua intro elementos modernos, Death Metal e melodia no solo, enquanto que ela se desenvolve brutal, com flertes com o Metal e até mesmo com o Hard Rock.

A pancadaria volta com “Eyes Upon The Abyss“. Velocidade, peso e técnica são os itens que abrem alas para que o Death Metal brutal seja destilado. O solo com mais melodia e direito a boas passagens do baixista, que aqui fez um ótimo trabalho.

“Dark Matter Invocation” mantém o bom nível do disco, todos os elementos aqui são bem utilizados. Impressionante como aqui o solo (desculpem a redundância) melódico caiu bem com as bases pesadas. A brutalidade no final ficou maravilhoso.

Em “The Hive”, temos um começo mais lento, para que, em seu desenvolvimento a música ganhe corpo e explore os elementos das anteriores.

“Eternal Void” traz de novo o Death Metal, sem muitas firulas. A mais brutal do álbum.

“Century” trabalha em duas frentes: A melodia nos solos, bem como a brutalidade típica da banda. Aqui a harmonia entre estes dois elementos beira a perfeição.

“Slaves to the Evermore” fecha o álbum da mesma forma épica que “Cosmic Pandemia” abriu, só que aqui a levada é a velocidade da luz quase que por todos os seus mais de seis minutos.

Um álbum muito bom e que certamente estará na minha lista dos melhores de 2018. Recomendo!

Formação:

Lee Harrison: Bateria

Michael Poggione: Baixo

Mark English: Guitarra

Mike Hrubovcak: Vocal

Matt Barnes: Guitarra

Track list:
Cosmic Pandemia
Kingdom of Fire
Radiated
Solar Vaccum
The Proselygeist
Maelstrom
Eyes Upon the Abyss
Dark Matter Invocation
The Hive
Eternal Void
Century
Slaves to the Evermore


sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Avenged Sevenfold: assista ao videoclipe da faixa “Mad Hatter” com imagens do jogo “Call Of Duty: Black Ops 4”





O Avenged Sevenfold lançou o vídeo oficial para a faixa “Mad Hatter“, que pode ser visto abaixo. A faixa foi gravada para o jogo “Call Of Duty: Black Ops 4” e o clipe usa imagens do prórpio.

“Mad Hatter” está inclusa no EP “Black Reign”, já disponível nas plataformas de streaming. O EP conterá todas as quatro músicas que a banda gravou e gravou para a franquia “Call Of Duty: Black Ops“.

A faixa foi gravada em Los Angeles em março passado e co-produzido pela banda e Joe Barresi, que dirigiu o aclamado álbum “The Stage“, incluindo a faixa-título indicada ao Grammy.

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

AMON AMARTH IRÁ LANÇAR NOVO DVD EM NOVEMBRO


Novo álbum sestá previsto para ser lançado em 2019

The Pursuit Of Vikings: 25 Years In The Eye Of The Storm é nome do próximo DVD e Blu-Ray dos suecos do Amon Amarth.

O trabalho trará um documentário e o show da banda gravado durante o festival Summer Breeze, em 2017, na Alemanha.

Amon Amarth está trabalhando no próximo álbum, que deve ser lançado no início de 2019. Será o primeiro disco com Jocke Wallgren na bateria.

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

SEPULTURA DISPONIBILIZA DOCUMENTÁRIO ENDURANCE NO NETFLIX



Sepultura fará show em São Paulo em outubro

Sepultura Endurance, documentário que conta a história da banda, está disponível na plataforma de streaming Netflix.

Dirigido por Otavio Juliano, o vídeo estreou mundialmente em maio de 2017, em Los Angeles, e traz entrevistas com Lars Ulrich do Metallica, Scott Ian do Anthrax e Corey Taylor do Slipknot, dentre outros.

Clique aqui para assistir

Sepultura se apresenta em São Paulo no dia 27 de outubro. Confira as informações sobre os ingressos clicando aqui.

NIGHTWISH GRAVARÁ DVD EM SHOWS NA ARGENTINA E COLÔMBIA




Nightwish está excursionando com a turnê Decades

De acordo com a produtora Dynamo, o Nightwish não filmará o show em São Paulo como divulgado em alguns veículos. As apresentações a serem gravadas serão somente na Argentina e Colômbia.

A banda finlandesa virá ao Brasil para um show único em São Paulo no dia 28 de setembro no Tom Brasil com a turnê Decades, onde prometem tocar músicas antigas pouco ou nunca executadas ao vivo. Leia aqui. A banda de abertura será o Delain.

“A maioria dessas músicas que estamos tocando nessa turnê nunca mais serão tocadas de novo, eu acho, então é uma boa ideia imortalizar o momento”, disse o tecladista e principal compositor Tuomas Holopainen ao Blabbermouth.

terça-feira, 18 de setembro de 2018

DEE SNIDER LANÇA NOVO CLIPE PARA “AMERICAN MADE”



Veja o novo vídeo do frontman do Twisted Sister para “American Made”

A faixa “American Made”, presente no álbum solo de Dee Snider, For the Love of Metal teve seu vídeo clipe lançado.

Os clipes de “Become the Storm” e “I Am The Hurricane” já haviam sido divulgados.

Snider comentou que teve a ideia para “American Made” ao assistir as Olimpíadas. Ao pensar sobre a disputa entre países, Snider comentou:

“É uma música sobre a união entre os países. Sobre reconhecer que existe algo muito importante que todos nós compartilhamos e devemos ter orgulho: O lugar daonde viemos.”

O álbum For the Love of Metal foi lançado no dia 27 de julho pela Napalm Records. O disco foi produzido pelo vocalista do Hatebreed, Jamey Jasta.

For the Love of Metal tem participações de artistas como Howard Jones (ex-Killswitch Engage), Mark Morton (Lamb Of God), Alissa White-Gluz (Arch Enemy), Joel Grind e Nick Bellmore (Toxic Holocaust) e Charlie Bellmore (Kingdom Of Sorrow).

Assista o clipe de “American Made”:


Metallica: assista vídeo ao vivo de “Harverster Of Sorrow” em 1991




A série de vídeos do Metallica em comemoração aos 30 anos de “…and Justice For All” continua hoje com as imagens ao vivo de “Harvester Of Sorrow”, filmadas durante sua apresentação em 17 de agosto de 1991 no “Monsters Of Rock Festival”, em Donington, Inglaterra. A banda tem destacado apresentações ao vivo do passado de todas as faixas do álbum supracitado até o lançamento da edição de luxo em 02 de novembro.

Assista ao vídeo no player abaixo:

Epica: banda volta ao estúdio no fim de 2019




Os holandeses do Epica haviam anunciado meses atrás que estão trabalhando em seu primeiro livro, The Essence of Epica. Em entrevista ao Metal Wani, o guitarrista Mark Jansen revelou os planos da banda para os próximos meses, além de uma previsão para começar a trabalhar no novo álbum. Confira:

“Neste momento, estamos muito ocupados com o livro. Também estou coletando fotos antigas que eu encontrei em meus computadores velhos. Também estou reunindo coisas antigas que achei e que possam ser interessantes para o livro. Além disso, eu já escrevi uma música para um futuro álbum do Epica. Mas nós teremos muito tempo agora, porque provavelmente vamos entrar no estúdio no fim de 2019. (…) Não temos tanta pressa dessa vez.”

domingo, 16 de setembro de 2018

Clemente Nascimento(Entrevista)




Com mais de 30 anos de história, Clemente poderia pedir o posto de vovô do punk, coisa que, absolutamente, não faz questão. Ao invés disso, o cantor, guitarrista e líder dos Inocentes, divide o tempo com a Plebe Rude, filhos e  Clemente  e a Fantastica Banda sem Nome .Mas também é conhecido como Clemente Nascimento, Apresentador e Diretor Artístico do programa Showlivre.com,  Heavylero,   FILHOS DA PÁTRIA na Rádio Kiss entre diversas outras atividades relacionadas a música,confira a entrevista que o HellMetalRock fez com esse grande ícone do Rock Brasileiro e mundial..

1)Você é um dos pioneiros do Punk Rock no Brasil. Iniciou sua carreira no final da década de 70 e influenciou toda uma geração que acompanha seu trabalho até os dias de hoje. Como despertou seu interesse em ser músico e quais foram suas influências musicais?
R) Comecei a tocar em 1976 por influência do Douglas Viscaíno, que me chamou para montar o Restos de Nada, onde ele virou guitarrista e eu baixista, minhas influências vão de Black Sabath a Bad Brains. Eu não me imaginava músico e sim um cara que participava de uma banda pra poder falar as coisas que eu pensava e precisava falar na época.




2)Você passou pelo Restos de Nada em 1979 e logo depois tocou com os Condutores de Cadáver. Poderia falar sobre essa época?
R) Fundamos o Restos de Nada em 1978, banda que fiquei até 1979, eram tempos difíceis e de desbravamento, fazíamos shows com a banda AI-5, não tinham muitos punks para formar a platéia e nem lugar pra tocar, a nossa turma ou gang, a Carolina Punk era nossa principal platéia no começo. Entrei para o Condutores no final de 1979 quando ainda se chamavam N.A.I. (Nós Acorrentados no Inferno), fizemos um show com esse nome e mudamos para Condutores de Cadáver que era um nome mais simpático, sempre dávamos uma força para as outras bandas, o Cólera ensaiou pela primeira vez com instrumentos de verdade em nossa sala de ensaio, o primeiro show deles foi a convite nosso na nossa escola. Em 1980 organizamos um festival durante os três dias de Carnaval e chamamos o Cólera, o Restos de Nada e o Cetro para tocar, acho que foi a banda que organizou os primeiros festivais, a gente era muito ativo.
                                         
3)O Inocentes, é uma banda importantíssima no punk nacional. Poderia falar sobre o início da banda? A banda participou da coletânea Grito Suburbano, um marco do punk Brasileiro ?


R) Em 1981 depois de uma turnê milionária com o Condutores, rsrsrsrs, a banda se separou e eu no baixo, Callegari na guitarra e o Marcelino queríamos fazer um som diferente, já tínhamos algumas músicas como Pânico em SP e Garotos do Subúrbio e começamos a ensaiar essas músicas e precisávamos de um vocalista, fizemos um teste com o Mauricinho, o Shit, ele andava com a gente tinha atitude mas nunca tinha cantado, fiz o teste com ele cantando uma música do Buzzcocks, "Fast Cars" e aí rolou, fizemos uns ensaios em agosto e dia 16 de outubro de 1981 rolou o primeiro show.
     

              
                        


4)Quem você considera a maior banda da cena punk brasileira: Ratos de Porão ou Cólera?
R) A maior em que sentido, o Ratos é HardCore, quase Metal, é o que a gente chama de Crossover e o Cólera é Punk Rock as duas são muito legais, não saberia definir qual é a maior, quem tem que falar isso é você rsrsrs




4) como surgiu a banda CLEMENTE & A FANTÁSTICA BANDA SEM NOME”?Quais músicos estão envolvidos nesse projeto?
R) cara, me deu vontade de gravar um disco solo pra poder fazer umas coisa diferentes do que faço na Plebe e Inocentes e reuni os amigos de quem eu sou fã, Joe Gomes no baixo, Rodrigo Cerqueira na bateria e Johnny Monster na guitarra, fizemos algumas das músicas do disco juntos, é um clima super legal, uma maneira de relaxar viajar por outros caminhos.

                           

5) Você acredita que os fãs mais tradicionais do seu trabalho possam estranhar a sonoridade de “Antes Que Seja Tarde?


R) Até agora não tive problemas com isso, pois todo mundo gosta de sons diferentes o problema é fazer com o Inocentes, mas com outro projeto é bem tranquilo.
                                                                 
6) Em quais projetos você está envolvido no momento?
R) Bandas são o Inocentes, Plebe Rude e com a Fantástica Banda, já programas eu faço o Showlivre que vai também para a TVT, 44.1 da TV Digital, o Heavy Lero com o Gastão Moreira para o nosso canal do YouTube Kazagastão e o Filhos da Pátria para a rádio Kiss FM


7) como tem sido a receptividade do disco, o que os antigos fãs tem dito ao ouvir.?
R) Quem se presta a ouvir gosta muito, pois apesar do som diferente tem o espírito punk, músicas simples, cruas, com arranjos diretos e sem overdubs, como eu disse todo mundo gosta de alguma coisa diferente.




8) seu projeto CLEMENTE & A FANTÁSTICA BANDA SEM NOMe tocou em em diversas cidades por você ser um grande musico e um ícone do rock, seus fãs pedem musicas de suas outras bandas nos shows?
R) As vezes pedem o que é natural, mas as bandas ainda existem, se quiser ouvir o Inocentes só ir no show do Inocentes que aliás faz muito mais show do que o trabalho solo rsrsrs



9)Como e trabalhar com gastão ,vocês dois tem uma grande conexão com seu canal no youtube?
R) Trabalhar com ele é maravilhoso, um cara que respeito muito, conhece muito de música e tem vários discos e referências além de ser grande amigo e parceiro.



                                                               
                          


10) O espaço é seu gostaria de dizer que foi uma honra entrevistar você pois sou um grande fã de seus trabalhos seja musical ou artísticos ,deixe um recado aos seus fãs e todos que acompanham o HellmetalRock?
R) Cara só existe uma maneira de manter o rock vivo, ir a shows, mas não só de bandas consagradas mas de bandas novas que estão tocando no boteco da esquina, pois ali mora o verdadeiro espírito do rock'n'roll


Baixista da Restos de Nada, primeira banda punk do país, Clemente integrou a Condutores de Cadáver e hoje é vocalista da Inocentes e da Plebe Rude, além de também seguir carreira solo, divulgando o recente trabalho “Clemente e A Fantástica Banda Sem Nome.

http://www.inocentes.com.br
https://pt-br.facebook.com/clemente.nascimentoii/
www.pleberude.com.br

Alex MARTINS

HELLMETALROCK

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

WITHIN TEMPTATION LANÇARÁ NOVO ÁLBUM EM DEZEMBRO; OUÇA PRIMEIRO SINGLE “THE RECKONING”



Novo álbum é o sétimo da carreira da banda

A banda holandesa Within Temptation irá lançar novo álbum, Resist, no dia 14 de dezembro pela Spinefarm Records.

Sharon Den Adel, vocalista, falou à revista Metal Hammer sobre o novo trabalho que é o sétimo da carreira: “Nosso principal objetivo era coletar peças de sons que nós gostávamos e depois intensificar tudo o que pudéssemos, permitindo-nos moldar um novo mundo musical que é mais pesado, mais sujo e mais futurístico do que nós já criamos antes. Resist é a nossa nova abordagem ao metal; nossa maneira de dar um novo sopro de vida a rebeldia da música moderna. ”

A música “The Reckoning” traz a participação de Jacoby Shaddix, vocalista do Papa Roach.

Within Temptation fará uma turnê pela Europa entre outubro e dezembro.

Five Finger Death Punch: “When the Seasons Change”


O Five Finger Death Punch lançou o videoclipe do novo single do álbum “And Justice For None“. Trata-se da faixa “When the Seasons Change“, a qual o clipe foi dirigido por Nick Peterson e pode ser visto no player abaixo:

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Krisiun – Scourge Of The Enthroned (2018)




Dilacerados sejam vossos tímpanos; o som dos caras veio denso, vivaz e profético. Notoriamente um álbum que retoma as raízes do Death Metal primordial da banda, o novo trabalho do Krisiun, traz a famosa levada que identifica e dispõe o trio de Ijuí no patamar áureo do metal nacional. Detentores de merecido reconhecimento internacional, os músicos Alex Camargo (baixo e vocal), Max Kolesne (bateria) e Moyses Kolesne (guitarra) superaram mais uma vez todas as expectativas. Até mesmo o mais ávido fã surpreendeu-se ao ouvir primeiramente as duas músicas lançadas como um aperitivo e depois com o álbum full que veio quebrando tudo.
Deparamo-nos com um trabalho espetacularmente produzido por Andy Classen, gravado no Stage One Studio – Alemanha -, lançado pelo selo Century Media Records e prensado no Brasil em parceria com o selo Shinigami. O brutal “Scourge Of The Enthroned” soa bem orgânico e direto ao ponto.


De modo enfático descrevo a ilustríssima arte gráfica do álbum: retrata três deuses – Anannukis – da cultura suméria que eram detentores de conhecimentos científicos e que foram responsáveis pela criação da humanidade – Anunnaki significa “o que veio do céu”. A criação de Erilan Kantor é simplesmente um exímio retrato pagão que abrange divindades, sapiência, gênese e final dos tempos.
A abertura do álbum dá-se com a faixa que autointitula o trabalho – o riff da guitarra é insano e o solo remete-nos aos tempos primórdios do Slayer. O peso continua firmemente cravado nas terras do Death Metal, quando repentinamente, deparamo-nos com a faixa “Devouring Faith” e sua levada mais Thrash e oitentista. Em “A Thousand Graves” Moyses usa e abusa de cromatismo e de velocidade invejável para criar a temática da canção ao lado da metralhadora de caixa e bumbo no mais puro blast beat executado por Max. Alex canta extraordinariamente bem, assim como na totalidade do trabalho em análise, e cria uma linha de baixo consistente e veloz.
O álbum mostra-se notoriamente eclético com a música “Electricide” – sexta faixa – ao agregar elementos mais progressivos e inúmeras quebras de compasso repentinas.
“Scourge Of The Enthroned” encerra-se com a magistral faixa “Whirlwind Of Immortality” e sua levada influenciada pelo clássico Heavy Metal ao estilo Iron Maiden e Judas Priest. E assim termina mais uma obra prima do metal nacional: em grande estilo; brutal; remetendo-nos às raízes da árvore do Death Metal.

Agora resta-nos esperar pela grandiosa turnê do Krisiun para divulgação do novo álbum. Diversas datas já foram confirmadas pelo Brasil para este ano; também já foram fechadas datas para shows nos Estados Unidos. “Scourge Of the Enthroned” merece ser adquirido em cópia física – foram prensados LPs e CDs – e ser guardado na coleção como um dos melhores álbuns de metal extremo lançados no ano de 2018.

P.O.D LANÇA NOVO VIDEOCLIPE; ASSISTA “ROCKIN’ WITH THE BEST”



Novo álbum do P.O.D. será lançado em novembro

“Rockin’ With The Best” é o novo videoclipe da banda americana P.O.D. A música faz parte do décimo álbum de estúdio da banda, Circles, que será lançado no dia 16 de novembro pela Mascot Label Group.

“Em Circles a gente não se limitou dizendo ‘Precisamos agradar o público de metal, ou o de hardcore, ou o de punk’. Nós apenas queríamos tocar músicas que esperamos ser relevantes e atraentes para um novo público, e ao mesmo tempo, continuando sendo nós mesmos”, disse o vocalista Sonny Sandoval.

Circles track list:
“Rockin’ With The Best”
“Always Southern California”
“Circles”
“Panic Attack”
“On The Radio”
“Fly Away”
“Listening For The Silence”
“Dreaming”
“Domino”
“Soundboy Killa”
“Home”

SLASH ESTREIA CINCO MÚSICAS DURANTE SHOW NO WHISKY A GO GO COM MYLES KENNEDY; ASSISTA AQUI




O novo álbum do guitarrista sai ainda este mês

O guitarrista Slash se apresentou no famoso Whisky A Go Go em West Hollywood, California, na última terça-feira, 11, durante um evento da SiriusXM.

Por lá, Slash e Myles Kennedy and the Conspirators apresentaram cinco músicas do novo disco, Living the Dream, previsto para sair no dia 21 de setembro. Os singles já lançados, “Driving Rain” e “Mind Your Manners” fizeram parte da setlist assim como “The Call Of The Wild”, “Serve You Right” e “My Antidote”.


quarta-feira, 12 de setembro de 2018

METALLICA TOCA “NO LEAF CLOVER” PELA PRIMEIRA VEZ EM QUASE 7 ANOS


Metallica está promovendo o álbum Hardwired…To Self-Destruct

Em turnê pela América do Norte, o Metallica tocou pela primeira vez em quase sete anos a música “No Leaf Clover” durante show em Minneapolis, nos Estados Unidos. Assista vídeo abaixo.

A música foi lançada no álbum ao vivo S&M em 1999 e juntamente com “Minus Human”, são as duas músicas inéditas do disco.

A banda está promovendo o álbum Hardwired…To Self-Destruct, lançado em 2016.


Ghost: confira os vídeos do show realizado no Royal Albert Hall de Londres





Vídeos de filmagens de fãs do show do GHOST em 9 de setembro em Londres, no Royal Albert Hall, no Reino Unido, podem ser vistos abaixo. Os ingressos para o show teriam sido vendidos em menos de uma hora, quando foram vendidos no final de junho.

Armado com três prêmios Grammis suecos, um Grammy americano e 75 milhões de transmissões globais de seu mais recente álbum, “Prequelle”, o GHOST anunciou a parte europeia de sua turnê mundial “A Pale Tour Named Death”, o primeiro show da banda em 2019, que terá início em 3 de fevereiro em Lyon, na França. As pré-vendas de ingressos começam nesta quinta-feira, 13 de setembro às 10h CET, e o local à venda começa na sexta-feira, 14 de setembro, às 10h CET.

Para essas datas européias, um número limitado de pacotes VIP Cardinal Copia Upgrade acaba de ser disponibilizado. Os pacotes especiais incluem entrada antecipada no local do evento, uma sessão de fotos pré-show com o Cardeal, uma vela de altar GHOST, um quebra-cabeça misterioso GHOST e outras vantagens exclusivas.

No mês que vem, o GHOST irá para a América do Norte para sua turnê de 40 datas que começa em 25 de outubro. A corrida incluirá duas apresentações na arena, 16 de novembro no Los Angeles Forum e 15 de dezembro no Barclays Center no Brooklyn.

Além do sucesso global antecipado de “Prequelle”, “Rats”, o primeiro single do álbum, acumulou mais de 25 milhões de transmissões, estabeleceu um recorde de 2018 para manter o primeiro lugar na US Rock Radio por nove semanas consecutivas, e no vídeo acompanhante a faixa que registrou mais de 12 milhões de visualizações no YouTube. No mês passado, GHOST lançou o provocativo remix de Carpenter Brut de uma das faixas mais populares de “Prequelle”, “Dance Macabre”, que cruzou a banda no mundo da dance music.


terça-feira, 11 de setembro de 2018

VOCALISTA DO MASTODON, BRENT HINDS, FALA SOBRE A INDÚSTRIA DA MÚSICA



Último lançamento do Mastodon, Emperor Of Sand, foi em 2017

Brent Hinds, vocalista e guitarrista do Mastodon, falou sobre a indústria da música em entrevista a Ultimate Guitar.

“O que eu realmente quero fazer, e espero que me deixem fazer, é tirar uma folga e poder respirar”, disse ele.”Esse é, definitivamente, o trabalho mais brutal que já tive. Eu prefiro voltar a construir casas de novo. É como ‘Pare de olhar pra mim porque eu estou tocando num palco’. Eu não me importo. Honestamente, eu nunca me importei […]. Tudo que eu me importo é com a minha paz de espírito, que está me deixando. Então eu preciso parar e me recalcular. Eu preciso me descomprimir de tudo isso, apertar o botão de reiniciar e me recompor”.

“Eu me casar há um ano. Tenho que conhecer a família dela. Eu tenho estado em turnê constantemente. Não é saudável. O próximo passo é ficar saudável, e ficar longe da indústria musical por cerca de um ano […] Vai ficar tudo bem. Eu ainda posso tocar. Se as pessoas querem que eu faça uma boa música, precisam me deixar por um ano”.

Recentemente a banda perdeu o empresário Nick Johnson devido a um câncer no pâncreas. Antes disso, a banda cancelou uma turnê com o Dinosaur Jr. pela América do Norte.

A banda ganhou um Grammy na categoria Melhor Performance de Metal, além de terem sido indicados como Melhor Álbum de Rock pelo lançamento de Emperor Of Sand.

ATREYU LANÇA SINGLE “THE TIME IS NOW”; OUÇA AQUI




A faixa é a terceira amostra do novo disco, In Our Wake

A banda de metalcore Atreyu está se preparando para o lançamento de seu sétimo disco de estúdio, In Our Wake, que chega no dia 12 de outubro pela Spinefarm Records. Com dois singles já lançados – “In Our Wake” e “Anger Left Behind” – o grupo divulgou a terceira faixa, “The Time Is Now”.

Ao falar sobre a música, o baterista Brandon Saller revelou a história por trás dela: “É sobre agarrar a vida e descobrir que você tem apenas uma chacne. Para nós, não há tempo de ficar à toa ou continuar fazendo o que sempre fizemos. O amanhã não está certo, então seguimos em frente.”

Ouça “The Time Is Now” logo abaixo e, em seguida, veja a capa e tracklist do disco In Our Wake, que já está disponível na pré-venda.

https://open.spotify.com/go?uri=spotify%3Atrack%3A6wpHmxmxPa3N3Gi3aGdTJL

Angra: Rafael Bittencourt fala sobre criação do álbum Ømn




O guitarrista Rafael Bittencourt falou ao canal oficial do ANGRA no YouTube sobre o processo de criação do álbum ‘Ømni’, desde as estruturas das músicas, letras, arte da capa e do conceito do disco, ideia que ele conta ter sido concebida há seis anos atrás, além de se dizer satisfeito com a resposta positiva dos fãs ao novo trabalho.
No vídeo, sobram elogios para Kiko Loureiro, atualmente no MEGADETH, além dos demais músicos que o acompanham no ANGRA. Ele também fala sobre gostar de cantar e disse que o baterista Bruno Valverde tem um pouco de cada qualidade dos bateristas que ocuparam o posto antes dele, além de agradecer aos fãs de todo o mundo pelo apoio à banda ao longo dos anos

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Phil Anselmo: dedicando medley do Pantera aos irmãos Vinnie e Dimebag




O vocalista Phil Anselmo, dedicou um medley do PANTERA aos irmãos Abott em apresentação realizada na noite do último sábado, 8, na casa de shows chamada Trees, em Dallas, Texas. Um fã gravou a performance e você pode conferir ao final destas linhas.

O medley consiste nas partes finais de ‘Domination’ e ‘Hollow’, presentes nos álbuns Cowboys From Hell e Vulgar Display of Power, respectivamente e tocadas de igual forma como o PANTERA usualmente fazia em performances ao vivo. Antes de a banda executar os trechos, Anselmo disse: “Isso vai para a memória dos irmãos Abott, Vince e Dimebag“.

A turnê norte-americana de Phil Anselmo acompanhado da banda THE ILLEGALS marca a primeira série de shows desde que uma mensagem de vídeo foi veiculada no memorial público dedicado ao baterista Vinnie Paul, que faleceu em 22 de junho, aos 54 anos. Foi a primeira vez que o frontman falou publicamente sobre a morte do seu ex-colega de banda.

O memorial foi realizado no dia 1 de julho na Bomb Factory, em Dallas, incluiu diversos tributos de vários músicos, alguns compareceram pessoalmente, outros, apareceram em vídeo expressando seu pesar e admiração por Vinnie. A parte de Anselmodurou alguns segundos, na qual sua voz marcante e profunda dizia

Vince, sempre terei amor em meu coração por você, cara. Descanse em paz”.

Anselmo, que foi o responsável direto pelo fim do PANTERA não tinha um relacionamento bom com os irmãos Abott, situação que piorou quando Dimebag foi assassinado enquanto tocava com o irmão, em 8 de dezembro de 2014. Vinnie acusou indiretamente o vocalista por comentários negativos sobre Dimebag, o que teria incitado o assassino a cometer o ato. Vinnierefutou toda e qualquer possibilidade de um retorno da banda.

Em 2016, Vinnie disse em entrevista que “era triste ver Anselmo fazendo uma série de coisas que mancharam a imagem do PANTERA na década e meia pós separação da banda.

Anselmo aportará no Brasil no início de 2019 para cinco shows: Belo Horizonte (25/01), São Paulo (26/01), Brasília (27/01), Porto Alegre (29/01) e Rio de Janeiro (31/01).